Docentes da UFMG – Professores farão pedido para suspender todas as atividades até o fim do movimento

No primeiro dia de greve, os professores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) decidiram pedir o cancelamento do calendário acadêmico do segundo semestre deste ano. A decisão foi tomada nessa quarta-feira (16) em uma assembleia da categoria. Foi criado um comando de greve e redigida uma moção para o Conselho Acadêmico da universidade. Caso a decisão seja acatada, as aulas serão interrompidas em todas as unidades e só serão retomadas após o fim da greve.

O documento deve ser entregue ainda nesta quinta-feira (17) ao conselho, e a expectativa é que a greve cresça. A decisão por paralisar os trabalhos aconteceu na última sexta-feira, após uma assembleia com mais de 500 professores. Ao todo, são cerca de 3.000 docentes na universidade. O movimento vale também para os campi de Montes Claros, no Norte de Minas, e Ouro Branco, na região Central.

De acordo com o vice-presidente do Sindicato dos Professores de Universidades Federais de Belo Horizonte, Montes Claros e Ouro Branco (Apubh), Dalton Rocha, ainda é muito cedo para dimensionar a greve. “Ontem foi o primeiro dia efetivo de paralisação. Acho que, ao fim da semana, será possível dizer qual é a adesão. Agora ainda é cedo para isso”, afirmou o docente.

A decisão de pedir a paralisação do calendário é para que todas as atividades sejam interrompidas, e não apenas algumas. “Nesse caso, mesmo os que não aderirem à greve não poderão ministrar aula ou qualquer atividade acadêmica. O semestre é suspenso, e, ao fim do movimento, há uma recomposição do calendário”, defendeu Rocha.

Além disso, também foram criadas várias comissões de professores para lidar com assuntos diversos, incluindo um grupo para pensar uma mobilização em Brasília contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do Teto dos Gastos.

A reportagem não conseguiu contato com a assessoria da UFMG na tarde dessa quarta-feira (16).

NOVO ENEM

Inep vai divulgar detalhes de prova

A partir da próxima segunda-feira, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) começará a divulgar os cartões de confirmação dos candidatos que farão o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) nos dias 3 e 4 de dezembro.

De acordo com o órgão, o procedimento será publicado nas redes sociais do Inep e também por meio de propagandas na televisão. Até amanhã, o instituto deve divulgar o número de candidatos que farão o exame.

Um pedido de anulação da prova foi feito por um procurador do Ceará, mas acabou negado pela Justiça. No entanto, na última segunda-feira, ele recorreu da decisão. O Inep ainda aguarda um posicionamento da Justiça, mas afirma que, caso haja uma definição desfavorável à prova, ainda cabe recurso.

O pedido foi baseado em prisões feitas pela Polícia Federal (PF) e no suposto vazamento do tema da redação.

SAIBA MAIS

Atividades. Os professores da UFMG querem realizar uma série de atividades e criaram grupos para fazer essas ações. Eles planejam aulões, debates e panfletagem, tentando conscientizar a comunidade fora da instituição sobre os impactos da PEC do Teto dos Gastos.

Reforma. A Medida Provisória (MP) 746/2016, que trata da reforma do ensino médio, terá mais 60 dias para ser discutida no Congresso Nacional. A prorrogação foi publicada nessa quarta-feira (16) no “Diário Oficial da União”. Com isso, a Casa terá até março para votar a medida.

[VIA]

Relacionados

Comente sobre esse assunto:

Comentários